Capacitação Casa de Acolhimento

Colaboradoras do Instituto Livre Ser participam de Seminário sobre proteção social

 

Nos dias 04 e 05 de setembro, a coordenadora da Casa de Acolhimento Livre Ser – Sandra Cezario –  e a assistente social – Maressa Nogueira – participaram do II Seminário Estadual da Proteção Social de Média Complexidade: Discutir para Aprimorar”.

Com foco no modelo assistencial de atendimento às famílias e indivíduos com direitos violados, mas cujos vínculos familiares não foram rompidos, foram abordados os temas: exploração e violência sexual infanto-juvenil: como identificar e coibir; violência de gênero: avanços e desafios no enfrentamento à violência contra a mulher; desafios e perspectivas no enfrentamento ao trabalho infantil; população em situação de rua: contextualização de um fenômeno urbano.

Entre os debatedores do evento, estavam as representantes do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Eleuza Paixão e Ana Luisa Coelho; o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho no Piauí, Francisco Meton Marques; e a juíza da 1ª Vara da Infância e Juventude da Comarca de Teresina, Maria Luiza de Moura Mello.

Promovendo uma atualização, bem como oportunizando um momento de discussão sobre as temáticas, o seminário foi voltado para gestores e técnicos que executam serviços de Média e Alta Complexidade no Piauí, como é o caso da Casa de Acolhimento Livre Ser, que atua no acolhimento institucional integral de crianças e adolescentes vítimas de situações de violação de seus direitos.

Nosso papel é atuar no cuidado, proteção, desenvolvimento e restauração da dignidade dessas crianças. Em 2 anos, já foram acolhidas mais de 60 crianças no Livre Ser Piauí. Junto com  apenas mais 1 instituição, somos habilitados a receber crianças e adolescentes de todo o estado do Piauí. Nossa equipe está sempre atenta às atualizações da legislação específica da área, bem como as capacitações que nos permitem crescermos e aprimorarmos o serviço que oferecemos às crianças e à sociedade.

Não seja cúmplice de situação es de violação. Se souber, denuncie ao Conselho Tutelar de sua cidade ou Disque 100.